PROJETO A.R.C.A.

PROJETO A.R.C.A.

ÁREA DE REINTRODUÇÃO E CONSERVAÇÃO AMBIENTAL

A Mata Atlântica é conhecida como uma das florestas mais ricas em biodiversidade do planeta, porém hoje restam apenas 12,4% do bioma original que cobria cerca de 1,3 milhões de km² do território brasileiro. Essa diminuição ocorreu devido a diferentes ações humanas, como agricultura, pecuária, exploração exagerada dos recursos naturais, crescimento urbano desordenado e extração de madeira. Além do desmatamento, a biodiversidade também está ameaçada pela pesca predatória, a caça e o tráfico ilegal de animais, que culminou em uma floresta onde vários animais estão ameaçados de extinção.

O maior objetivo do projeto A.R.C.A. é restaurar as populações de animais e suas interações ecológicas no ecossistema da Mata Atlântica, através da reintrodução de espécies que foram localmente extintas ou estão ameaçadas de extinção. O Grupo Cataratas se dedica a este propósito através de protocolos de conservação integrada, utilizando estratégias que incluem ações ex situ, ou seja, dentro de Zoológicos e Aquários, como por exemplo com estudos genéticos e de reprodução das espécies, seguido de ações in situ (na natureza), com o condicionamento do animal à vida livre e reintrodução no habitat. Não trabalhamos sozinhos, todos os esforços são sempre realizados de forma integrada com cientistas, instituições de pesquisa, ONGs, universidades, ICMBio, entre outros. 

Hoje no Parque Nacional da Tijuca, através do Projeto REFAUNA, o Instituto Federal do Rio de Janeiro, a Universidade Federal do Rio de Janeiro e a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, com o apoio do Zoológico do Rio, já foram reintroduzidas espécimes de cutia com constatado sucesso reprodutivo, com algumas delas já estando em sua quarta geração. As cutias foram escolhidas para iniciar o projeto pois são exímias dispersoras de sementes. Uma fase mais recente do projeto iniciou a reintrodução de antas na REGUA – Reserva Ecológica do Guapiaçu. A anta que é o maior mamífero da América do Sul e era considerada extinta da natureza no estado do Rio de Janeiro há mais de 100 anos.

Contribuindo com a restauração das interações ecológicas, o Instituto Conhecer para Conservar e seu time de voluntários, realizam ativações de plantio de espécies nativas, ajudando a reflorestar a nossa deslumbrante Mata Atlântica.

O Grupo Cataratas vem desenvolvendo novos projetos de restauração da biodiversidade em conjunto com diversos pesquisadores e instituições do Brasil e do exterior. Navegue pelo Portal, descubra mais sobre nossa atuação e construa a história na década da restauração com a gente!

  • PROJETO REFAUNA. EQUIPE: 
  • LABORATÓRIO DE ECOLOGIA E CONSERVAÇÃO DE POPULAÇÕES (LECP) Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – Fernando A. S. Fernandez, Marcelo L. Rheingantz, Bruno Cid, Caio Kenup, Catharina Kreisher, Luísa Genes, Tomaz Cezimbra, Pedro Uchoa, Raíssa Sepulvida, Anna Landim, Carolina Starling, Louise Daudt, Cesar Britto, Giuliana Caldeira Pires Ferrari, Caroline Heringer, Lara Norberto, Paula Viana, Bernardo Araujo e Leandro Macedo.
  • LABORATÓRIO DE ESTUDO E CONSERVAÇÃO DE FLORESTAS (LECF) Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) – Alexandra Pires Fernandez, Pollyanna Rodrigues e Rafaela Pacheco.
  • LABORATÓRIO DE ECOLOGIA E MANEJO DE ANIMAIS SILVESTRES (LEMAS) Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ) – Maron Galliez, Lucas Burity, André Monteiro, Rodrigo Araujo, Leonardo Aguiar, Mariana Tavares e Natália Barros.

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Fechar Menu